Olá Estamos com novidades.

Estamos participando do Premio Boas ideias de Sustentabilidade.

A equipe executora é multidisciplinar e fantástica! Esperamos Vencer!

Ele está incluído no nosso Programa de Ecologia Urbana e foi projetado durante o Curso de Ecologia Urbana

ESTAMOS PARTICIPANDO DO PRÊMIO BOAS IDEIAS DE SUSTENTABILIDADE - VIRADA SUSTENTÁVEL PORTO ALEGRE

 

Título da Iniciativa ou Projeto

MÉTODO PARA VALORAÇÃO ECONÔMICA DE PEGADA AMBIENTAL APLICADA A SUSTENTABILIDADE E CONSERVAÇÃO



Nome da Instituição ou Pessoa Física responsável pela iniciativa ou projeto

INSTITUTO SAUVER


Cidade onde é desenvolvida a iniciativa ou projeto

Porto Alegre e municípios da região metropolitana



Resumo da iniciativa ou projeto

No processo de urbanização as transformações sociais e espaciais contribuem para o aumento de conflitos ambientais e conservacionistas. O modo de vida da sociedade é responsável por diversos impactos ambientais, que envolvem quantidade, qualidade, variedade dos recursos naturais disponíveis e outros fatores nem sempre positivos. Atualmente um dos maiores problemas está relacionado ao consumismo e como esse fator está relacionado à sustentabilidade das cidades.

O Projeto visa identificar o valor dos bens e serviços ambientais, e o custo que cada cidadão tem por mês, demonstrando quanto cada indivíduo é sustentável. Através de educação ambiental e pequenas mudanças de atitudes diárias, com a compreensão da funcionalidade do meio ambiente nas cidades, o projeto poderá tornar Porto Alegre e os municípios da região metropolitana entre os mais 100 sustentáveis do planeta de acordo com os dados da ONU. Os métodos empregados envolverão avaliação de custos, de valoração ambiental e de consumo individual por hectare, de forma a identificar a pegada ecológica individual e posteriormente a pegada ecológica do município de Porto Alegre e arredores. Espera-se com esse projeto apresentar soluções sustentáveis que gerem menos consumismo e mais conservação.

O Instituto Sauver possui o Programa de Ecologia Urbana que desde 2010 vem atuando junto à população de Porto Alegre e da região metropolitana, de forma educativa. As atividades envolvem mudanças de atitude junto aos condomínios e escritórios - Manual Práticas Ambientais em parceria com o SECOVI/AGADEMI-RS, informações relacionadas ao controle de pragas e fauna sinantrópica e silvestre nas cidades junto às escolas estaduais, municipais e cursos tecnológicos na área de gestão ambiental, e monitoramento com a quiropterofauna.

Informações: http://www.facebok.com/Instituto Sauver Grupos

Video: Youtube - Instituto Sauver -  MÉTODO PARA VALORAÇÃO ECONÔMICA DE PEGADA AMBIENTAL APLICADA A SUSTENTABILIDADE E CONSERVAÇÃO

 

 

banner2ecologia urbana

 

 

 

O projeto permitirá identificar o valor dos bens e serviços ambientais, e o custo que cada pessoa tem por mês, demonstrando o quanto cada indivíduo é sustentável. Através de educação ambiental e pequenas mudanças de atitude diárias, com a compreensão da funcionalidade do meio ambiente nas cidades, o projeto poderá tornar Porto Alegre e os municípios da região metropolitana entre os mais sustentáveis.

.

porto alegre e eco urbana

O método que será desenvolvido possibilitará avaliar o meio ambiente de uma cidade, e verificar sua sustentabilidade; caso não seja, deve-se sugerir e apresentar soluções de como evitar ou minimizar os impactos junto à flora, fauna, solo, água e ar. Possibilitará as pessoas que vivem nos centros urbanos reconhecerem que a determinação de valor para os bens e serviços ambientais é o primeiro passo para o uso mais eficiente dos mesmos e para reduzir consumos desnecessários.

Igualmente avaliar o impacto que o consumo tem sobre a sociedade e demonstrar economicamente que tudo que é consumido tem valor / preço de mercado seja nacional ou internacional (grãos, carne, energia, etc.). O projeto propõe demonstrar o custo do impacto ambiental no cultivo dos grãos, produção da energia elétrica que não estejam inclusas no preço de compra. Como os recursos naturais não possuem um mercado definido, o seu gerenciamento de uso é complexo e não demonstrável em valores no dia a dia.

O diferencial do projeto está na valoração econômica dos bens consumidos relacionados com a pegada ecológica individual. A ideia é avaliar de forma prática como melhorar os nossos princípios de sustentabilidade.

O objetivo é criar um método de valoração para avaliar a pegada ecológica individual de Porto Alegre e as cidades Metropolitanas, e possibilitar a mudança de atitude relacionada ao consumo e ao meio ambiente, com sensibilização para a conservação da natureza.

Será desenvolvido um programa dinâmico, quali-quantitativo para a percepção dos cidadãos avaliarem sua pegada ecológica e seu consumo mensal a fim de avaliar qual o seu custo-benefício real e o quão sustentável é seu dia a dia em Porto Alegre e região metropolitana. Esse programa de avaliação de pegada ecológica e sustentabilidade ficará disponível online e, portanto, plenamente exequível. Serão utilizados métodos para avaliar o uso ou existência de recurso ambiental, como Método de valoração Contingente (MVC), Método de Custos de Viagem (MCV), Método Produtividade Marginal (MPM) e Dose-Resposta (MDR), Método de Mercado de Bens Substitutos (MBS) e de Custos Evitados (MCE), Método de Custos de Controle (MCC), de Custo Reposição (MCR) e Custo de Oportunidade (MCO). Esses métodos são fundamentais para determinar a maior eficiência na precificação dos bens e serviços gerados pela natureza em prol do desenvolvimento regional sustentável.

A equipe executora do projeto é multidisciplinar, formada por gestores ambientais, biólogos que trabalham em distintas atividades. Equipe Executora: Taciana F. Siqueira, Pamela Barros, Luciana P. Cardoso, Carla Hovarth, Bruna Ribeiro, Maristela Donel, Cynthia Fontoura, Fabio Ferreira, Susi M. Pacheco.

 

eco  urbana curso

 

A inovação é valorar os impactos monetários mensais gerados pelos cidadãos, será possível visualizar o custo x beneficio dos gastos feitos pelos cidadãos, sensibiliza-los a mudar de atitude em relação ao consumo, a rever seus resíduos, consumo de água e energia e a utilização de seus eletrodomésticos, enfim ter uma visão ambiental. Igualmente motivar as pessoas a ter uma visão de conservação em relação ao meio ambiente e as áreas verdes de sua cidade. A cada seis meses os cidadãos serão convidados a refazer a entrevista para avaliar se houve alguma mudança de comportamento.